Pesquisar neste blog

sábado, 25 de novembro de 2017

Mistérios Afrodisíacos




“Volúpia é a filha do Amor (Eros) e de Alma (Psique), personifica o prazer, sob todas as formas. Volúpia era uma fada que quando tocava na água se transformava em sereia e tinha asas de borboleta gigante. É a deusa do prazer. A deusa do prazer personifica a sensualidade, o amor sensual, a junção do amor com a alma. Representa todo o sentimento e emoção relacionada a qualquer forma de prazer. Eros e Psique costumavam passear com sua filha Volúpia entre os mortais, em um intuito de que entre os mortais só haja prazer quando o amor e a alma andarem juntos”.
O Arquétipo do Amor e da Alma (livro) – Letícia de Castro


Há milênios as pessoas falam sobre variadas formas afrodisíacas. Quando ouvimos a palavra afrodisíaco, associamos à potência sexual e à virilidade. Mas o quê de fato vem a ser o afrodisíaco? Qual a sua origem? E porque é um assunto de interesse da maioria das pessoas? Qual é o mistério?

Quando se fala em “afrodisíaco” imaginamos um tempero ou uma poção em que possa aumentar o desempenho sexual. Segundo o Dicionário Aurélio Afrodisíaco é: “Diz-se das substâncias ou medicamentos que restauram ou aumentam o apetite sexual. ”
Denomina-se afrodisíaco a qualquer substância ao qual se atribuem propriedades estimulantes sexuais. Mas afrodisíaco não é apenas isso, é um mistério na verdade.
A palavra “afrodisíaco” tem origem no grego aphrodisiakós, referente à afrodisia, que restaura as forças geradoras, ou excita os apetites carnais. A palavra afrodisíaco deriva de Afrodite, nome da deusa da beleza e do amor na mitologia grega. Aphrodite, que deriva da palavra aphrós, que por sua vez quer dizer “espuma”, uma alusão às espumas que a água faz no mar.

No mito grego, segundo Hesíodo, Urano, então rei dos deuses, era a abóbada celeste que cobria Gaia, a Terra.  Seu filho Saturno, para salvar os irmãos, o destrona cortando seus testículos fazendo com que saísse sangue e esperma no mar. Sucede-se então que a Deusa Afrodite nasceu de uma concha no mar através da concepção das pérolas dentro das conchas, dando o significado criador e erótico do prazer sexual. Afrodite, nascida do esperma ensanguentado do deus introduz no mundo a ordem (atributo saturnino) e a fixação física das espécies (diferentemente da criação caótica de Uranos), impossibilitando qualquer criação desordenada e nociva.

O símbolo da concha
 A concha é um artefato marinho, simboliza o órgão sexual feminino, assim está ligada à fecundidade, como a própria água em que nasce a deusa (e também a vida orgânica como a conhecemos, segundo a ciência acadêmica), que é símbolo da vida, fertilidade, purificação, força e transformação. Várias civilizações da antiguidade usavam as conchas como adornos funerários e talismãs na forma de colares e braceletes, simbolizando à renovação da vida devido à morte das gerações anteriores. Nas Antilhas é comum colocarem conchas sobre os túmulos acendendo velas nos dias de festas. Para os Astecas a concha simbolizava a Lua, representando a fecundidade, o nascimento e a criação. Para os Maias era associada a divindades representando o mundo subterrâneo e o mundo dos mortos.

Dentro da concha firme e calcificada se encontra a ostra que têm um corpo mole. As ostras nascem na espuma da embocadura de um rio (água doce), nas marés e baías (água salgada), e por esta razão estão associadas com o nascimento de Afrodite. A ostra se defende quando um parasita tenta invadir seu corpo, liberando uma substância chamada madrepérola (substância calcária, iridescente, que constitui a camada mais interna da concha de um molusco muito utilizada como bijuteria). Essa substância envolve e se cristaliza sobre o invasor (como vermes ou grãos de areia) impedindo-o de se reproduzir. Depois de cerca de três anos esse material vira uma pérola. Sua forma depende do formato do invasor e sua cor varia de acordo com a saúde da ostra. Formada através de um ataque invasor nasce a pérola, a raridade da natureza, uma das joias mais caras e raras são as pérolas douradas. De um ataque ou agressão à ostra nasce a pérola.

Alimentos afrodisíacos
As crenças populares sobre alimentos, banhos, óleo usado em massagens, perfumes, poções e talismãs afrodisíacos, em sua maioria, são fundamentadas em lendas.

Alguns exemplos de alimentos afrodisíacos:
Na Europa a ostra é uma receita popular;
No Brasil as garrafadas (utilizadas raízes, cascas, folhas, frutos macerados e normalmente a infusão é feita em aguardente), catuaba, mairipuama, guaraná, maca peruana, tribulus terrestres, castanha de baru, castanha-do-pará, ovos de codorna, amendoim, cipó-cravo, damiana, açafrão, alho, pimenta, cravo-da-índia, alecrim, alho, noz moscada, romã, cardamomo, manjericão, chocolate, atum, ginkgo biloba, ginseng, gengibre, mel, morango, canela, vinho tinto e diversos outros são tidos como receitas afrodisíacas se combinados e consumidos corretamente.

Vitaminas e Minerais Afrodisíacos
Acredita-se que a ostra e outros alimentos que contém grandes quantidades de vitamina E, zinco e selênio são considerados alimentos afrodisíacos, já que o zinco e o selênio são elementos importantes para a produção de testosterona, o qual aumenta a atividade sexual tanto do homem como da mulher. A vitamina E está presente nos ovos e óleos vegetais. O selênio é encontrado nas castanhas, nozes, amêndoas, atum, semente de girassol, trigo integral e peixes. As maiores fontes de Zinco são as proteínas animais, leite e derivados, crustáceos, também sendo encontrado nos cereais, nozes e amendoins. Os frutos do mar, em especial ostras e mexilhões, são campeões dentre os afrodisíacos. O Zinco é importante para a produção de esperma e para a saúde de sêmen, segundo pesquisas, cada ejaculação contém, aproximadamente, 5 mg de zinco.
Até agora falamos das comidas, bebidas e temperos afrodisíacos, associados ao corpo físico, vitaminas e minerais, onde sua carência pode tornar o ser humano não apenas impotente sexualmente, mas diversos outros fatores. Exemplos não sexuais de distúrbio pela falta de zinco são: fragilidade do sistema imunológico, depressão, falta de memória, ferimentos que não cicatrizam, psoríase, cansaço, queda de cabelo, organismo exposto a todas as doenças infecciosas entre outros. 
Exemplos da escassez do selênio são: a exaustão, cansaço mental, hipotireoidismo, infertilidade masculina, problemas cardiovasculares, alergias, asma, fraqueza do sistema imunológico, fraqueza muscular, manchas brancas nas unhas, inflamações, infecções, viroses, maior probabilidade de câncer, envelhecimento entre muitos outros.

Para os veganos (pessoa que opta por não explorar ou se alimentar da vida animal) na dúvida, coma brócolis!
Um alimento maravilhoso para se ter zinco e selênio na quantidade adequada, pois seu excesso também é algo muito tóxico para o organismo, tanto quanto a falta, é simples: coma uma castanha-do-pará todos os dias. Apenas com uma castanha-do-pará por dia você terá a quantidade média de zinco e selênio no organismo (na dúvida consulte um médico). Em seu café da manhã coma uma castanha-do-pará, apenas uma e a castanha agirá como um remédio. Isso não quer dizer que atuará como afrodisíaco e você sairá louco e excitado o dia todo como um adolescente transbordando hormônios. Então pergunto: Será apenas esses componentes minerais que compõem tudo que pode ser afrodisíaco?

Fator de Autoconfiança Masculina
O afrodisíaco seria tudo o que mexe com os cinco sentidos: audição, a música, o olfato, o tato, a visão e o paladar. Uma música, um filme, um perfume, um toque ou um gosto podem ter um papel afrodisíaco incomensurável. Na ”Pirâmide de Maslow” relacionada às necessidades básicas do ser humano, sexo é uma das necessidades fisiológicas (básica) para a busca da auto realização.

Um homem, por exemplo, quando se sente impotente ou com baixa libido, tende a se sentir não realizado na vida. Por isso na farmacologia (ciência que estuda, medicamentos ou substâncias capazes de alterar funções ou estruturas do organismo vivo) existem tantos remédios para impotência ou aumento do vigor sexual. Não confunda, a impotência pode vir de muitos fatores físicos e até mesmo energéticos. A impotência é um dos maiores medos do sexo masculino, quer queira ou não, os homens se sentem frágeis só de pensar nessa possibilidade. Mesmo que seja algo apenas psicológico, isso é um fato. Em grande parte, homens na andropausa (conjunto de alterações fisiológicas que marcam a diminuição natural e progressiva da atividade sexual do homem) pode ter a libido diminuída, porém nada que a reposição de hormônios, como a testosterona, por exemplo, não resolva. Isso pode ser resolvido com remédios ou apenas alimentos conforme foi descrito, o ideal é consultar um médico para obter a dieta certa ou a reposição hormonal adequada, visto que a diferença entre o remédio e o veneno é a dosagem certa. Ressaltando que isso não é um problema, apenas algo fisiológico que alguns podem estar propensos com o avanço da idade. Isso também cabe ao sexo feminino. Outro fator que prejudica em muito o desempenho sexual nos dias atuais é a falta de dinheiro e o estresse.

Chacras da Energia Vital e Poder Sexual
Pessoas com grande poder espiritual como os iniciados nos mistérios ocultos normalmente tem uma grande vitalidade e potência que vem através da energia vital.
Toda iniciação esotérica é regida astrologicamente pelo planeta Marte, o responsável pela virilidade, na Umbanda é o Exu. O próprio símbolo do planeta Marte pode ser visto como uma bolsa ou saco escrotal na base de um pênis ereto. O planeta Marte é o complementar astrológico do planeta Vênus, nome romano de nossa Afrodite grega. Marte rege o signo de Escorpião, sede do sexo e que pertence ao eixo astrológico de preservação da vida, juntamente com Touro, regido por Vênus.

Tradicionalmente a palavra “iniciado” é sinônimo de “viril”. Na antiga tradição celta/druídica quando o rei já não era mais viril era substituído, pois sua virilidade atraía ou não a fertilidade da terra.

Segundo estudos esotéricos o chacra base ou básico (responsável pelo poder sexual) localiza-se na base da coluna vertebral, na altura do cóccix e rege a nossa vinculação com a terra e a vitalidade. Esse chacra base também está relacionado com o sexo e órgãos sexuais. O nome desse chacra básico em sânscrito, é Muladhara, que significa “Base de Apoio”.

Quando esse chacra está bem equilibrado, ele traz a ação, motivação, longevidade, força de vontade, vitalidade, auto realização, força física e energia sexual. O chacra básico é a principal conexão energética do ser humano com o planeta. Esse chacra rege o útero (mulher) ou a próstata (homem), a coluna vertebral, os membros inferiores, a região lombar e o intestino. Caso exista algum sintoma ruim relacionado esses locais pode indicar desequilíbrio no Chacra Básico. Esse desequilíbrio pode ser sentido através da depressão, desmotivação, baixa autoestima, insegurança, sonolência excessiva, pensamentos de suicídio, sexualidade reprimida, falta de vontade de viver e coragem para enfrentar a vida, escassez da libido entre outros sentimentos relacionados a força e vitalidade. Mas lembre-se o excesso do contrário não é bom, também é um desequilíbrio: hiperatividade, sexualidade desenfreada, insônia, inquietação, impaciência e nervosismo.

Uma dica para o reequilíbrio é praticar atividades como a dança (principalmente músicas tocadas com instrumentos de percussão), ioga, esportes ou algo que desperte o interesse, prazer e criatividade, caminhar com os pés descalços sobre a terra, grama, pedra ou areia, contato com a natureza e prazeres benéficos que possam combater o estresse cotidiano. Terapias com pedras diretamente no chacra podem reequilibrá-lo.
Falamos até aqui do chacra básico que fica localizado na altura dos órgãos genitais, mas há outro chacra que completa esse equilíbrio. É o chacra Sacro que fica localizado no baixo ventre, quatro dedos abaixo do umbigo, ambos são associados à energia sexual e libido. A libido é a energia primordial de todos os instintos de vida e da atividade criativa humana, o que Freud relacionou com seu “Id”. Podendo ir além da questão sexual, pois também simboliza instintos básicos de sobrevivência. O Segundo chacra é chamado de Sacro, em sânscrito é chamado de Swadhistana, que significa segundo alguns autores "morada do Sol".

O Chacra Sacro é responsável pela energia da criatividade e do impulso emocional, bem como sensações e desejos sexuais. Esse chacra é o “armário” da energia sexual e do poder. Em palavras fáceis de entender, no chacra Básico você adquire a energia vital e sua conexão com a terra e no chacra Sacro você filtra, guarda, distribui e controla a energia vital. Faça um teste: o dia que estiver se sentindo com maior energia, deixe sua barriga (local do chacra Sacro) com os músculos contraídos por um tempo (maior tempo possível) tente perceber que você controla a energia, depois tente deixar a barriga descontraída, como se estivesse aberto ou preguiçoso. Vai perceber que está gastando a energia com coisas tolas. Converse com as pessoas e passe seu dia normalmente, um dia você vai tentar contraindo e outro aberto sem contração. No fim de cada dia, reflita e sinta como está a sua energia. A energia da vida, conhecida pelos antigos chineses como “chi”, e a energia sexual são uma só. Controlando a sua energia vital (não pense que é tão fácil, mas com a prática você pode melhorar e ir se conhecendo com técnicas próprias) você controla o seu poder espiritual, físico e sua vitalidade. Se tornará um ser forte e cheio de energia. Isso também pode ser considerado afrodisíaco, já que quando temos o poder da energia vital (energia sexual) também estamos falando de vigor seja no ato sexual ou na energia diária dos afazeres e vontade de viver auto realizando-se. 

Muitos irão perguntar por que não falei dos outros chacras, mas nosso tema aqui são os mistérios afrodisíacos, esses dois primeiros chacras estão relacionados com os mistérios da energia da vitalidade e poder sexual. Todos os chacras estão interligados entre si, mas esses dois primeiros chacras, mais ligado à terra estão ligados ao nosso tema (afrodisíaco).

Animais Simbólicos
Animais que são símbolos da virilidade e força sexual são o bode, o touro e o cervo.
Buchada de Bode: O falo (pênis) do bode é uma iguaria afrodisíaca, famosa no Nordeste e com origens do Ceará. A buchada de bode é feita com os órgãos do animal, que são picados, temperados, misturados com um pouco de sangue.

Taurina: A taurina que está presente nos energéticos, suplementos e termogênicos nada mais é que o sêmen do touro. 

Chifre de Veado: Uma substância retirada do veludo que recobre o chifre do veado é produzida como afrodisíaco prometendo ampliar o desejo sexual, a resistência e a força. Com informações sobre seu uso desde 200 a.C. na China a substância é aplicada no tratamento de disfunção sexual, aumentando a produção de testosterona.

Molusco Afrodisiaco

Afrodisíacos populares, esquisitos e até ilegais

 Fugu ou baiacu: para os japoneses o baiacu (como conhecemos), produz uma sensação de formigamento nos lábios e bochechas que depois desaparece aumentando a excitação. Sendo um dos peixes mais mortais no mar ele poderá levá-lo à morte certa.
A sopa de saliva de ninho de pássaro: é uma iguaria asiática feita a partir de um ninho de pássaro da saliva do andorinhão. O prato é servido há mais de 400 anos e seu ingrediente principal são ninhos construídos por andorinhas de difícil acesso. Os ninhos recebem a saliva da ave que combinado com outros ingredientes cria uma sopa gelatinosa que se diz ser afrodisíaca.
Chifres do rinoceronte: Este raro e ilegal afrodisíaco (pois as espécies estão ameaçadas de extinção) é especialmente desejado por homens na África que sofrem de impotência.
Ambergris: Esta substância (ilegal no Brasil) cerosa vem do trato digestivo das baleias cachalotes. É muito utilizada como um agente em perfumes. Para os árabes é afrodisíaco.
Formigas gigantes: há mais de 500 anos essas formigas gigantes têm sido um tradicional afrodisíaco na América do Sul.
           Urina de babuíno: no Zimbábue a urina de babuíno tomada com cerveja é considerada afrodisíaca.

Antes de mais nada, podemos observar as esquisitices populares consideradas afrodisíacas. O ser humano é capaz de qualquer coisa para aumentar seu poder sexual. Matar animais ilegalmente em prol de uma promessa suspeita de aumentar a libido não é um ato bom. Devemos respeitar a cultura, mas não se atirar por meios de alimentos que podem até levar o indivíduo à morte. Na dúvida consulte um médico ou se não tiver problema algum prefira investir em banhos de ervas e nas castanhas e alimentos baratos e de fácil acesso. Em muitos casos um bom vinho tinto é muito mais afrodisíaco que comer “sacos de bode gordurosos”. Não se aventure em superstições ou na ilegalidade.

Banhos, perfumes e óleos afrodisíacos
Seja através do perfume ou através de chás, há milênios as plantas medicinais são utilizadas por seus poderes afrodisíacos. Muitos óleos essenciais e chás são afrodisíacos em razão de suas propriedades hormonais. A rosa vermelha é um poderoso óleo para o corpo e também um ótimo banho revigorante para mulheres (inclusive para homossexuais). O jasmim, a canela, a sálvia, o gerânio e o ilangue-ilangue são ótimos afrodisíacos femininos na forma de perfumes ou óleo para massagem, além de estimular a ação dos hormônios sexuais, tem o poder de deixar a mulher se sentindo mais sensual, assim exalando a energia da sensualidade ela obviamente se mostrará mais sexy e atrairá o sexo masculino. O banho ou óleo de manjericão aguça os sentidos e estimula os instintos, principalmente nos homens, além de aumentar a circulação sanguínea na região genital. Aliás, problemas de circulação são fatores que podem contribuir para a impotência sexual, tanto masculina quanto feminina (frigidez).

Alguns óleos essenciais possuem compostos que imitam os feromônios. Os feromônios são substâncias químicas que exaladas entre seres de uma mesma espécie, promovem reações específicas em seus indivíduos. Na verdade, feromônio é a fragrância afrodisíaca natural usada para liberar a química da atração sexual.

Observa-se que um afrodisíaco faz bem principalmente para o ego ou para a autoconfiança, com exceção das filosofias religiosas em que o sexo é apenas para a reprodução e não para o prazer. Desde a antiguidade até os dias atuais os seres humanos vem procurando as mais diversas fórmulas para aumentar a libido, independentemente da idade ou sexo da pessoa. E por mais que saibamos que tudo é uma ação química no organismo, ainda assim a questão dos afrodisíacos são um mistério para a humanidade.



Letícia de Castro


Academia Ciência Estelar

terça-feira, 21 de novembro de 2017

O Alimento e o Segredo da Longevidade


Alimentação e vida guardam um importante elo que não se pode quebrar. Sem alimento não há vida, em nenhum reino da Natureza. Mas, dependendo do tipo de alimento que se faz uso também é possível reduzir ou ampliar a expectativa de vida de uma pessoa.


A Descoberta do fogo trouxe para a humanidade a conscientização de que somos algo além da selvageria, que nós somos algo parte de um ser único e ao mesmo tempo a consciência da socialização, ver e sentir o que o outro sente, compreender que com o amor e respeito podemos aprender a sobreviver. Para a sobreviver ao mundo físico necessitamos da energia vital. Esta energia vital vem através da Terra que nos mantem vivos. Os alimentos vêm da terra, não de seres, mas de tudo que brota da Terra. Lá, no princípio, a caça era o meio mais eficaz, um grande animal se sacrificaria por uma tribo. Então descobriram que com o fogo poderiam fazer um assado, se colocasse água virava um cozido, ou se colocasse a gordura animal virava uma fritura. E assim a culinária (também podemos chamar de “alquimia da transmutação da energia vital”) evoluiu, os seres famintos sentavam-se em volta das fogueiras e esperavam o alimento, se socializavam, acasalavam, dançavam e comiam. Logo foi misturando as ervas no cozido, as raízes e tinham uma grande sopa. Assim foram-se conhecendo os alimentos e enquanto ocorria à espera da refeição socializava-se o ser humano, daí veio a comunicação, as línguas e sons.


Pense nas cortes que comiam com talheres, pense no homem das cavernas comendo ao redor da fogueira. Todos comem!
Com toda a mudança genética através dos hábitos alimentares ao longo dos séculos o tipo de sangue da pessoa também pode identificar sua propensão para hábitos alimentares.



A Dieta do Tipo Sanguíneo ficou famosa em 1996, com o lançamento do livro “A Dieta do Tipo Sanguíneo”, best-seller nos Estados Unidos, escrito pelo americano Peter D'Adamo (médico naturopata), que segundo ele cada tipo de sangue tem sua característica e propensão.

Sangue Tipo O
São carnívoros com aparelho intestinal forte e necessitam comer proteínas animais diariamente, caso contrário, estão propensos a desenvolver doenças gástricas como úlceras e gastrites devido à alta produção de sucos gástricos. São considerados os carnívoros com um aparelho intestinal forte do grupo mais antigo, são os caçadores nômades.

Sangue Tipo A
São vegetarianos com aparelho intestinal sensível e têm dificuldades para digerir proteínas de origem animal, pois sua produção de suco gástrico é mais limitada. São os “sedentários” agricultores.

Sangue Tipo B
Podem tolerar dietas mais variadas sendo o único tipo de sangue que tolera bem laticínios em geral.

Sangue Tipo AB
Necessitam de uma dieta equilibrada contendo um pouco de tudo. É uma evolução dos grupos A e B, sendo que a alimentação desse grupo é baseada na dieta dos grupos sanguíneos A e B.  


Além da caça e pesca dos homens das cavernas, tinham aqueles que plantavam e colhiam, permaneciam naquele local por muito tempo para aguardar a colheita e ter fartura o ano todo. Esses não caçavam, colhiam. Já os caçadores continuavam nômades, tinham que ir atrás da caça. E assim cada tipo, vegetarianos ou carnívoros mantiveram seu estilo e seu espectro de DNA.



Os alimentos são mágicos, promovem reações químicas no corpo. Cada alimento é um remédio, uma cura para se manter vivo. As ervas de curas das antigas bruxas hoje são remédios, chás curativos, sucos de frutas desintoxicantes, unguentos (pomadas) de folhas e muitos outros usos.

Segundo Márcia Frazão, os verbos amar e cozinhar andam juntos. “Amor se faz na cozinha” assim ela afirma que as pessoas podem ser conquistadas pelo estômago.

"Todas as substâncias são venenos; não existe uma que não seja veneno. A dose certa diferencia um veneno de um remédio".
Paracelso, médico e alquimista suíço.

Cada planta tem um sexo, a doença não é curada da mesma forma em todas as pessoas. Segundo Paracelso, as doenças são catalogadas da seguinte forma: Do lado direito do corpo tudo é físico. Do lado esquerdo do corpo tudo é psíquico. Do lado da frente do corpo tudo é positivo (elétrico). Do lado das costas do corpo tudo é negativo (magnético).



O Veganismo vem crescendo no mundo, por vários motivos: saúde, amor aos animais e ao planeta, contra o sacrifico e sofrimento, vibração de dor e morte, devastação das florestas e inúmeros outros motivos. O Veganismo também se tornou para muitos um estilo de vida e uma filosofia. Viver só da energia vital, energia da Terra.
Falando em alimentos mágicos, que são tantos, daria para escrever um livro sobre o vasto assunto, vou passar três ervas mágicas da longevidade como dica para vocês.



Açafrão – o pó da longevidade:
O nome científico da planta é Crocus sativus, o nome popular pode ser: açafrão-da índia, açafrão-da-terra, açafrão ou cúrcuma. Sua origem é indiana sendo introduzido na Espanha pelos árabes, e difundindo-se pelo resto da Europa mediterrânea O açafrão indiano é feito dos estigmas das flores (é a área receptiva do pistilo das flores, onde o grão de pólen inicia a germinação do tubo polínico), enquanto da cúrcuma (um dos tipos de flores da família do gengibre. Seu nome veio do latim e quer dizer “mérito da terra”) utilizam-se as raízes. No mundo mágico e esotérico é amplamente conhecido que o açafrão é uma planta solar, seu elemento mágico é o Fogo.


 O açafrão era amplamente encontrado em muitas pinturas como oferenda ao Deus Sol (Ra) no Antigo Egito. Ele é muito utilizado em rituais, feitiços e culinária para prosperidade e cura. O açafrão sempre foi apreciado pelo seu aroma requintado e propriedades medicinais. É considerado a especiaria mais cara do mundo, pois, para termos 1 quilo, precisamos de 100 mil flores.

Não confunda a cúrcuma, apelidada de açafrão (açafrão-da-terra) pelos brasileiros, com o verdadeiro açafrão (açafrão-da índia), o brasileiro é produzido através da raiz (parente do gengibre) o outro é produzido das flores. O açafrão brasileiro também possui seus benefícios através do consumo da Cúrcuma para prevenção e tratamento do Mal de Alzheimer, também tem ação anti-inflamatória comparada ao cortisol e antioxidante. Pode contribuir inclusive para o tratamento do câncer e das doenças do coração.

Na antiguidade: Hipócrates, pai da medicina, utilizava o açafrão na composição de vários medicamentos contra as dores, a letargia, as cataratas e os venenos. Os fenícios tinham a tradição de passar a noite de núpcias em lençóis coloridos com açafrão, também tinham o costume de assar bolos com açafrão, dando-lhes a forma de lua crescente para louvar a lua e a Deusa Astaroth. Os gregos antigos utilizavam o açafrão para combater as insônias e curar as ressacas. É considerado afrodisíaco quando misturado no banho. A especiaria é muito popular nos países nórdicos onde está presente em várias receitas de arroz, de fogaças e sopa de peixe. Os egípcios cultivavam o açafrão como planta sagrada. 
Em vários murais da antiguidade, ele aparece em cerimônias religiosas sendo ofertado ao deus Sol. Os babilônios usavam-no para fabricar essências aromáticas, enquanto na Grécia era empregado como tintura para os cabelos. 
Segundo boatos, dizem que a rainha Cleópatra utilizava a essência de açafrão para seduzir. Uma referência ainda mais distante, em um livro de medicina chinesa datado de 2600 a.C., considera-se que o açafrão um fortificante e estimulante sexual. Usado há séculos em molhos, arroz, peixes e aves, o açafrão sempre esteve acompanhado de sacerdotes, filósofos, bruxas e reis, os povos antigos utilizavam o açafrão em rituais solares, isto devido à sua coloração.

Nos nossos dias, usa-se mais como condimento do que como remédio. É a especiaria mais cara de todas as que se conhecem.

A cúrcumina do açafrão possui propriedades anti-inflamatórias em vários tipos de doenças, inclusive o câncer. A cúrcumina é um pigmento que ocorre naturalmente na planta que abaixa o nível de colesterol e lipídios totais no sangue. Em altas doses (dose certa) inibe a ovulação sendo considerado um anticoncepcional. A Cúrcumina, presente no açafrão, aumenta o sistema imunológico, retarda o Alzheimer, previne a morte de neurônios, ajuda a manter os níveis de açúcar, auxilia o sistema digestivo, reduz os riscos de derrames cerebrais e problemas cardíacos. Ela retarda e estabiliza as células cancerígenas combatendo a metástase e fortalecendo as membranas celulares. Reduz o risco de Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC), fortalece os vasos sanguíneos e reduz a pressão arterial. Asma, coqueluche, vesícula, cálculos dos rins, fígado e bexiga são outros exemplos que o açafrão pode curar ou tratar. O tempero tradicional indiano chamado “Curry” é o açafrão potencializado através da Pimenta do Reino. O açafrão é usado como corante e os trajes típicos budistas têm a cor amarelada pela cúrcuma usada.

A cúrcumina é altamente eficaz no processo de oxidação celular e controle dos níveis de radicais livres no organismo, reduzindo assim o número de células danificadas e o envelhecimento da pele. Resumindo, o açafrão é o pó da longevidade. Um alimento vital.

Receitinha Detox:
1 colher de óleo de coco
2 alhos amassados
1 colher rasa de sal do Himalaia
2 copos de arroz integral (pode ser arroz branco se preferir)
2 colheres de açafrão (pode ser a cúrcuma brasileira)
4 copos de água para arroz integral ou 2 copos de água para arroz branco
Coloque os ingredientes na ordem descrita, quando for dourar o arroz coloque o açafrão, depois coloque a água, mecha um pouco e tampe deixando cozinhar.

Babosa – a planta da imortalidade:
A babosa, também conhecida como “Aloe Vera” também é amplamente considerada uma planta medicinal solar (relativa à saúde, à vida, à prosperidade, ao amor e à justiça). Na antiguidade os egípcios, gregos, chineses, macedônios, indianos, mexicanos e japoneses utilizavam essa planta para fins medicinais há pelo menos 6.000 anos. A babosa é documentada e reverenciada através de pinturas nos antigos templos egípcios. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe Vera na Antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3.500 AC, o qual era de fato uma coleção sobre ervas medicinais. 

Segundo alguns historiadores a Babosa era o grande segredo de beleza para tratar a pele utilizado pelas rainhas Cleópatra e Nefertiti no antigo Egito. A Babosa era transportada pelos soldados de Alexandre, o Grande, como medicamento de primeiros socorros para curar ferimentos, acelerando a cicatrização. Também era muito usada por antigas tribos das América do Norte, Central e do Sul para tratar a pele, couro cabeludo e problemas de estômago. Antigas tribos utilizavam a planta para cobrir os cortes cirúrgicos e os ferimentos das batalhas. A Babosa foi tida como medicamento pelos marinheiros de Cristóvão Colombo (navegador e explorador italiano, responsável por liderar a frota que alcançou o continente americano em 12 de outubro de 1492, sob as ordens dos Reis Católicos de Espanha, no chamado descobrimento da América). Na bíblia, a Babosa é chamada de "árvore perfumada" e "resina perfumada". Ela é usada misturada com mirra e trazida por Nicodemos para embalsamar Jesus. Muçulmanos, maometanos e judeus a usavam penduradas nas portas como proteção para todos os males. Perto de Meca era plantada ao lado dos túmulos para dar paciência aos mortos. A origem da Babosa é africana e tem ligação com os Deuses Obaluaiyê (mitologicamente uma divindade que age contra o poder da morte, das doenças e dos espíritos dos mortos) e Ogum (é o orixá da guerra, da coragem, o protetor dos templos, das casas, dos caminhos).

Os benefícios da Babosa são inúmeros: Interrompe o crescimento de tumores cancerígenos, reduz os índices de colesterol ruim, trata úlceras, alcaliniza o sangue, reduz a pressão sanguínea, acelera a cura de queimaduras físicas e também radioativas, bactericida substituindo praticamente toda a maleta de primeiros socorros, combate o envelhecimento da pele e radicais livres, estabiliza o açúcar no sangue tratando a diabete, trata as infecções causadas pela bactéria da Cândida, isotônico natural, protetor do fígado, aumenta a resistência física, hidratante para pele e cabelos, inflamações diversas, extração de berne, antirrugas para limpar as células mortas e regenerando tecidos, antioxidante natural com propriedades antibacteriana, cicatrizante, fortalece o sistema imunológico e tem ação anti-inflamatória e antiviral (inclusive inibindo a multiplicação do vírus da AIDS), hidratação do cabelo e da pele, usada em queimaduras para cicatrizar e retirar a dor entre outros benefícios.
Os princípios ativos se encontram no gel (parte interna da planta) e não na casca. Existem 200 tipos de Babosa catalogados, dessas a Aloe Vera Barbadensis (Miller), a qual é também conhecida como Aloe Vera (Linne), é a mais potente. Atualmente encontramos produtos à base de Babosa nas farmácias e supermercados como capsulas, cremes, sabonetes, pomadas, xampus e condicionadores. Um dos alimentos mais ricos em gliconutrientes (açúcar natural encontrado nas plantas para tratamento de infecções fúngicas, pele e câncer) é a Babosa. 
Composta de 12 vitaminas, 15 enzimas, 18 aminoácidos, inclusive os principais compostos do corpo humano, 20 minerais ,75 nutrientes e mais de 150 princípios ativos. A Babosa é também utilizada para sucos “detox” podendo ou não misturar com alguma fruta que mantenha a combinação do gosto e mantendo as propriedades da planta.

Trazendo em si a energia vital e a cura de diversos males, a Babosa pode ser considerada uma planta da longevidade, pois é conhecida como a “planta milagrosa” ou “planta da imortalidade”.

Receitinha Detox: Você pode usar o gel da babosa em sucos, vitaminas e shakes. Não exagere na dose, pois pode causar efeitos indesejáveis como a famosa “dor de barriga” ou enjoo. Não existe uma quantidade diária ideal, você pode iniciar com uma pequena quantidade e vá aumentando aos poucos se precisar. O gel colhido a folha da babosa pode ser congelado e guardado por até seis meses. Recomendo que consulte um especialista, pois lembre-se que de remédio para veneno é só a dosagem que muda, o mesmo que pode curar pode matar.
1 colher de sopa do gel da babosa
1 colher de sobremesa de mel
1 limão (suco)
Bata os ingredientes e um copo de água no liquidificador e tome pela manhã em jejum.

Orégano: o tempero da alegria
O orégano (Origanum vulgare) tem propriedades poderosas, seu sabor e aroma compõem diversos pratos culinários muito utilizado na dieta mediterrânea, também mexicanos e brasileiros, sendo usadas folhas frescas ou secas, esse tempero também pode ser usado como um chá, preparado por infusão de suas folhas, que serve para tratar várias doenças. Foi o antigo povo romano, que difundiu o uso do orégano por todo o seu império, hoje ele é um dos temperos mais adicionados em pratos típicos da cozinha italiana, como molhos de tomate, berinjela à parmegiana, massas e pizzas. Encontrado por toda a Europa e Ásia, é hoje muito cultivado nas Américas. Seu poder medicinal já era conhecido no Egito Antigo. O orégano tem sido utilizado não apenas na culinária, mas também nas indústrias agrícolas, farmacêuticas e de cosméticos. Além disso ele é utilizado na medicina alternativa por milhares de anos. O Orégano é, na verdade, intimamente relacionado com Hortelã e seu gênero é da mesma família da “menta”.

A palavra orégano (de Origanum) tem origem grega e significa “alegria da montanha” segundo Hipócrates, o pai da Medicina que a chamou de Origanon (erva amarga). Antes de ser descoberta como especiaria, o orégano era muito apreciado pelos gregos na forma de óleo para banho. Para os gregos a erva tinha o poder mágico de trazer felicidade. A medicina grega usava o orégano como chá para convulsões e antídoto para venenos narcotizantes. Nos casamentos da Grécia antiga, os noivos se coroavam com orégano e, em outro uso, plantavam nos cemitérios para assegurar uma vida feliz no outro mundo. Na magia o poder do orégano está associado à proteção, ao amor, à saúde e ao dinheiro. Os antigos colocavam alguns ramos de orégano nas portas das casas para se protegerem de espíritos malignos.

Benefícios do Orégano: O orégano possui vários compostos fenólicos, lipídios e ácidos graxos, flavonoides e antocianinas. O chá de orégano é popular na Turquia no combate a distúrbios gastrointestinais e na redução dos níveis de colesterol e glicose. Usado contra tosse, dor de cabeça, irritação, ação anti-inflamatório, anti-bactericida, reduz a glicemia em diabéticos, ação antimicrobiana e estrogênica, antisséptico, anticaspa, diurético, expectorante, trata doenças do pulmão, dores musculares, afecções estomacais, indigestão, gases, cólicas, enjoo, cefaleias (dores de cabeça), dores articulares e musculares, dor de dente, combate a osteoporose, anemia, menopausa, incômodos da TPM, fortalece o sistema imunológico, é antigripal, repelente de formigas, fungicida principalmente contra a “Candida Albicans” e é estimulante gástrico, biliar, nervoso e circulatório sendo usado no combate a infecções virais e até mesmo no tratamento do câncer. O Orégano possui nutrientes como o zinco, manganês, cálcio, cobre, ferro, potássio, vitaminas A, C e K, complexo B, fibras entre outros. Ele é também um agente ligeiramente estimulante, o que pode aumentar a produção de células brancas do sangue e acelerar o metabolismo, fazendo com que a recuperação da doença seja ainda mais rápida. O Orégano tem propriedades antibacterianas, que devido à presença de timol e carvacrol que são compostos orgânicos importantes pode defender o organismo contra muitas bactérias que pode afetar a pele, o intestino, e outras partes do corpo. Os antioxidantes e o ômega 3 presentes no Orégano ajudam a diminuir inflamações e colaboram para a prevenção de doenças do coração. Orégano é uma fonte rica em flavonoides antioxidantes fenólicos (poli-vitamina A, carotenos, luteína, zea-xantina e criptoxantina) e foi classificado como uma das fontes vegetais com maiores atividades antioxidantes. Estes compostos atuam na proteção contra os radicais livres e envelhecimento. Ele pode ajudar no processo de eliminação de toxinas do corpo, sendo um poderoso detox (desintoxicante).

Receitinha Detox:  infusão de 5g de folhas secas de orégano por litro de água fervente, mantida abafada até esfriar, sendo depois coada. Tomar uma xícara (chá) uma vez por dia, para

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose e a dose depende do organismo de cada pessoa e sua condição. Por isso, sempre devemos consultar um especialista naturopata ou herbalista para um tratamento adequado.




Letícia de Castro 

Academia Ciência Estelar

terça-feira, 3 de outubro de 2017

A Arte da Dança: Da Raiz ao Contemporâneo


Segundo o Hinduísmo, todas as coisas são parte de um grande processo rítmico de criação e destruição, de morte e renascimento, e a dança de Shiva simboliza esse eterno ritmo de vida e morte que se desdobra em ciclos intermináveis. Na plenitude do tempo, Ele destrói todas as formas pelo fogo e lhes concede novo repouso.


A Dança Cósmica de Shiva (o Rei dos Dançarinos, um antigo Deus indiano), representa a alternância e a complementação entre luz e escuridão, é a dança cíclica do movimento perfeitamente harmônico. Ela representa a criação do mundo. A Dança cósmica é o movimento perfeito que faz a vida sair do coração e conectar a luz do espírito, e depois integrar-se ao universo.

Para ser melhor entendido, vamos materializar o pensamento. No princípio da raça humana, criada através da energia cósmica, a lei natural do gênero, artes foram dadas a Guardiões: Yin, o feminino e Yang, o masculino. Ambos ganharam a arte do corpo. Yin ficou com a dança, ritmo e música e Yang com a força, a honra e a coragem. A arte para Yin é a dança e para o Yang são as artes marciais. A ambos podemos chamar de “dança”. A palavra dança é o mesmo que 'Mahol' em hebraico, sendo esta derivada do verbo 'hul' que significa "fazer movimentos circulares", "voltear". Segundo o Dicionário Aurélio significa “mover o corpo de modo cadenciado; saltar, mover-se, girar; não estar firme; ser volúvel”. A palavra dança tem origem do Francês antigo “dancier”, atual “danser”.


 As Guardiãs do Templo e o Sincretismo

Aqueles que tem a Arte queimando em seu coração são os Guardiões do Templo e as antigas sacerdotisas. No princípio de nossa história nesse planeta existiam (ainda existem) Guardiões dos Templos de Deuses e Deusas. Os índios dançavam para os Deuses, as mulheres do campo aprendiam a Arte da Dança, assim como nos países Asiáticos toda mulher deve saber dançar. Por todo o mundo sempre existiu uma dança local e primitiva e foram se adequando a novas técnicas aperfeiçoadas por outras culturas que foram se comunicando. Formou-se um sincretismo entre as danças dos povos. Daí nasceram as danças mais atuais. Um exemplo disso é o encontro entre a Dança Cigana com Dança do Leste (a Dança do Ventre que conhecemos, trazida pelos Franceses). A Dança do Ventre Ocidentalizada com danças de outras culturas trouxe para nós o ATS (American Tribal Style) que nos trouxe o Tribal Fusion, surgida na década de 90 na Califórnia. Com a Dança Tribal Fusion pode-se dançar todas as culturas e tribos. O Tribal Fusion trouxe a liberdade de criação na Arte da Dança.

Dançarinas do Stúdio de Danças May Zahara - Tribal Fusion - São Thomé das Letras MG

Professora dançarina May Zahara
Tribal Fusion - São Thomé das Letras MG
A Dança do Ventre (já sincretizada com jazz e balé ocidental) como base principal se mistura com o Flamenco e a Dança Clássica Indiana dando Origem a Origem do Tribal (ATS). Hoje se pode dançar de Hip Hop a Celta no Tribal, de Chorinho a Cabaré Burlesco, de Contemporâneo a Tango, de Trance ao estilo Egípcio. O Tribal Fusion trouxe para o mundo a Arte de Recriar, trazer algo da raiz de nossos antepassados até a atualidade. Ela é apresentada como sendo o sincretismo perfeito.  Isso não quer dizer que a raiz pura não exista mais. Existem escolas e famílias que mantem a dança raiz, dançarinos que procuram se apurar no princípio de uma cultura e praticar a dança mais ancestral possível.



Então podemos reparar o sincretismo na dança, bem como nos cultos, religiões, línguas, hábitos, gastronomia e até na cor da pele. Nosso futuro nos parece a volta às raízes com uma nova cara. Hoje muitas pessoas são adeptas a dança, uns para melhorar a saúde, outros para se sentirem belos, outros porque precisam o ritmo. Mas o principal de mais alto nível é o Guardião do Templo contemporâneo que dança com a alma e traduz o movimento da dança cósmica no físico através da música.  A dança traz muitos benefícios ao dançarino como percepção, concentração, ritmo, leveza, suavidade, criatividade, saúde, memorização, auto estima, conhecimento de raízes e tradições e muitos outros inúmeros benefícios.


Arte Marcial ou Arte da Dança? 

Xondaro - Arte Marcial dos índios Guaranis
Capoeira - Arte Marcial com Dança
Talvez possamos ver a Arte Marcial e a Dança ocorrendo juntos, como a Capoeira que é uma coisa só. Tal como a Capoeira é o Maculelê, ambos em sua origem eram uma arte marcial armada, mas atualmente é uma forma de dança que simula uma luta tribal, possui a arte da dança e a arte marcial trazendo traços da miscigenação cultural de um país. O Tai Chi Chuan é um estilo de arte marcial reconhecido também como uma forma de meditação em movimento, ou seja, uma dança. No Japão a Arte da Dança e as Artes Marciais são consideradas uma só. Os povos indígenas e as suas danças de guerra, por exemplo, o Xondaro (arte marcial dos índios Guaranis) pode exercer a função de luta ou de dança conforme as circunstâncias.



Elen Hanna e Steve Santiago professores em Varginha - MG
Atualmente existem escolas que trazem aulas de dança e também de artes marciais em um mesmo espaço. O Yin (água) e o Yang (fogo) juntos. Um exemplo disso, em Varginha MG, é o Espaço de Danças “Elen Hanna” com a Dança Árabe e a Escola Tradicional Shaolin com o Kung Fu. “Eu ensino para ele a ternura e delicadeza da Dança e ele me ensina a força e retidão do Kung Fu. Assim vamos equilibrando nossos corpos e mentes! Nosso Yin e Yang”, diz Elen.


Dança com Candelabro
Segundo Elen Hanna, o elemento fogo (Yang) esteve presente na Dança Oriental através da “Dança com Candelabro”. Seu nome egípcio é “Raks El Shamadan” e sua provável origem é grega ou judaica. É uma dança na qual a bailarina usa um candelabro de 7 a 14 velas sobre a cabeça. É uma dança antiga que fazia e ainda faz parte das celebrações árabes e egípcias de casamento, nascimento e aniversários. A bailarina, juntamente com músicos e outras bailarinas, faz um cortejo à frente dos noivos.  A intenção é iluminar o caminho, trazendo felicidade e celebrando a vida. Tradicionalmente a “Zeffa” (El zaffa, zaffe, zaffet ou zaffah significa algo como “procissão” e também é o nome de um ritmo) acontece à noite. Antigamente, esse cortejo saía da casa da noiva até a casa do noivo, sua nova casa. Hoje, o cortejo é feito no local onde acontece a festa! Músicos, bailarinos e bailarinas dançam e cantam a alegria de uma nova união, vida ou aniversário!

Bruce Lee ensaiando Chá Chá Chá
Foi Bruce Lee quem trouxe a Arte Marcial do Kung Fu para o ocidente na década de 60, ele também era dançarino. O Kung Fu na verdade se chamava “Wushu” e foi criado há pelo menos 4 mil anos, na Mongólia, depois se espalhou pela China. Bruce Lee além das Artes Marciais e o boxe era um ótimo dançarino de Chá-chá-chá, chegou a ganhar o prêmio de vencedor do campeonato de Chá-chá-chá a de Hong Kong de 1958. O Chá-chá-chá é um estilo de música originário de Cuba considerada uma derivação do Mambo. Bruce Lee ficou conhecido como ator e Mestre do Kung Fu no ocidente.
Tanto a dança quanto a arte marcial remetem ao espiritual, o espírito e a matéria juntos em plena harmonia.

Koichi Tohei, 10º graude Aikido e exímio praticante de danças tradicionais japonesas ensina que:
"Tradicionalmente no Japão, dança e artes marciais são consideradas como uma só arte. Os caracteres com que se escrevem as duas palavras são diferentes, mas a pronuncia é a mesma: “budô” (em japonês: 武道 - a versão moderna do antigo bujutsu, em japonês: 武術 , as artes marciais tradicionais). Um mestre de dança ou um ator enche o palco com a presença do seu “Ki” (O Qi, também grafado como ch'i na romanização Wade-Giles ou ki na romanização do japonês - é uma força cósmica que, segundo a cultura tradicional chinesa, criou e permeia todo o universo). Ele não olha para a audiência, pois está completamente ocupado em tornar-se um com a personagem. Totalmente envolvido no seu papel ele esquece o seu eu ordinário e a audiência é cativada. Só se pode fazer isto quando se unifica a mente e o corpo. Quando se estende o Ki é-se fotogênico de qualquer ângulo. É o equivalente visual a não ter abertura para o ataque.
 


Da Era das Cavernas para a Era Tecnológica

A dança é registrada nas paredes de cavernas em forma de desenhos na arte rupestre. No antigo Egito já se realizava as chamadas danças astro-teológicas em homenagem a Osíris. Na Grécia, a dança era frequentemente vinculada aos jogos, em especial aos olímpicos. Dançava-se em ritos como casamentos e funerais. A dança é a expressão artística mais antiga, lá trás na pré-história dançava-se pela vida, a dança sagrada continha gestos místicos e acompanhavam os rituais. Na Idade Média o governo religioso católico condenou a dança (assim como condenou a expressão feminina) e qualquer arte feminina (Yin) se tornou profana, proibida e pecaminosa. Porém a dança ressurgiu na época do Renascimento junto com o teatro (Itália, século XV). A Dança é uma das três principais artes cênicas da Antiguidade, ao lado do Teatro e da Música. A dança está associada às práticas mágicas), mas na maioria das danças hoje, o rito separou-se da dança.


Magia: antigamente chamada de Grande Ciência Sagrada pelos Magos, é uma forma de ocultismo que estuda os segredos da natureza e a sua relação com o homem - arte, ciência ou prática baseada na crença de ser possível influenciar o curso dos acontecimentos e produzir efeitos não naturais, valendo-se da intervenção de seres fantásticos e da manipulação de algum princípio oculto supostamente presente na natureza, seja por meio de fórmulas rituais ou de ações simbólicas.

O século XVII é considerado o grande século do Balé, que dos salões passou a ser apresentado em palcos, dando surgimento aos espetáculos de dança. O Balé é atualmente muito usado em passos da Dança do Ventre ocidental. O Balé Clássico trouxe a Dança Moderna e hoje vemos esse Balé também na Dança Contemporânea (surgindo na década de 60). A Dança Contemporânea traz maiores emoções é uma dança onde as expressões da alma são criadas no palco e materializadas para a plateia. Hoje a dança possui figurinos, expressões e cenários diversos com ajuda tecnológica.


Os Quatro Elementos

Desde épocas imemoriais os sábios da humanidade ensinam que nesse planeta para haver vida é necessário a existência dos Quatro Elementos. A Numerologia ensina que a Unidade é o princípio Criador de tudo. Dessa Unidade partiram as duas emanações divinas complementares, conhecidas como masculino e feminino, Yin e Yang. A dança é Yin e a arte marcial é Yang, sendo assim possui os elementos da vida. Então os complementares se buscam e essa busca ou atração resulta na terceira realidade, pois tudo que está em movimento nesse mundo está vivo. 


Do encontro da dualidade surgem então os quatro elementos vitais: Fogo, Água, Terra e Ar que compõem toda a Criação. A Água cria a vida no útero da Terra com o poder do fogo e a flexibilidade do ar. Através dos quatro elementos podemos entender a arte da dança que contém em si o ar que representa a mensagem, a água que representa a emoção, a terra que representa os sentidos e o fogo que representa o espírito da vida.

As danças no estilo Ar são leves, soltas e harmônicas. As danças no estilo Água são emotivas, expressivas e contagiantes. As danças no estilo Terra são firmes, graciosas e acentuadas. As danças no estilo Fogo remetem à transformação, ao poder e ao fascínio.

A arte de dançar tem sido desenvolvida e sincretizada nos últimos tempos e os milagres que a dança pode trazer para o praticante nos planos físico, metal e espiritual é grandiosíssima. Dança é cura, é beleza, é a conexão com o Divino Primordial, a comunhão com a Totalidade, uma oportunidade para teofania (Teofania é um conceito de cunho teológico que significa a manifestação de Deus em algum lugar, coisa ou pessoa). Para o Hinduísmo nada no universo morre realmente, só há mudança de plano e padrão vibracional. A energia não nasce e nem morre, só é transformada. Assim é uma Dança, a Dança Primordial.



Letícia de Castro - Academia Ciência Estelar